sexta-feira, 23 de setembro de 2016

José Martí - Obras Completas




No link abaixo estão disponíveis as Obras Completas de José Martí em versão crítica:

http://www.clacso.org.ar/coleccion_jose_marti/index.php
Fonte: Clacso Livros


quinta-feira, 1 de setembro de 2016

Declaração do Governo Revolucionário da República de Cuba

Enviado por editor en Mié, 31/08/2016 - 14:21

O Governo Revolucionário da República de Cuba rejeita veementemente o golpe de estado parlamentar-judicial que foi realizado contra a Presidenta  Dilma Rousseff.

Oafastamentoda Presidenta do governo sem apresentar-se nenhuma evidenciade delitos de corrupção nem de crimes de responsabilidade, e com ela do Partido dos Trabalhadores (PT) assim como outras forças políticas de esquerda aliadas, constitui um ato de desacato à vontade soberana do povo que a elegeu.

Durante os governos de Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff, foi impulsionado um modelo econômico-social que permitiu ao Brasil dar um salto no seu crescimento produtivo com inclusão social, a defesa de seus recursos naturais, a formação  de emprego, a luta contra a pobreza, a saída da miséria de mais de 35 milhões de brasileiros que viviam em condições desumanas e a elevação da receita de outros 40 milhões, a ampliação das oportunidades na educação e a saúde do povo, abrangendo setores marginados naquela altura.

Neste período, o Brasil tem sido um impulsionador ativo da integração latino-americana e caribenha. A derrota do Acordo de Livre Comércio para as Américas (ALCA), a convocatória para a Cúpula da América Latina e as Caraíbas relativa a Integração e Desenvolvimento (CALC) que conduz para a criação ulterior da CELAC, assim como a constituição da UNASUR, são acontecimentos transcendentais na historia mais recente da região que demonstram o protagonismo desse país.

Mesmo assim, a sua projeção para com as nações do Terceiro Mundo, sobretudo de África, sua ativa participação como membro no Grupo BRICS (o Brasil, a Rússia, Índia, China, e África do Sul)assim como o seu desempenho no quadro da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO)e a Organização Mundial do Comércio, entre outras, são um reconhecimento à sua liderança internacional.

Também merece de se elogiar a executória brasileira sob os governos do PT nos temas decisivos  da situação internacional em defesa da paz, o desenvolvimento, o meio ambiente e os programas contra a fome.

Os esforços feitos por Lula e Dilma são largamente conhecidos no intuito de reformar o sistema político e ordenar o financiamento dos partidos e suas campanhas, bem como aajudaàs investigações que foram realizadas contra a corrupção, e a independência das instituições encarregadas delas.

As forças que exercem o poder nesta altura divulgaram medidas privatizadoras relativas as reservas petrolíferas nas águas profundas e a redução dos programas sociais.   Além disso, emitem uma política exterior em prol das relações com os grandes centros de poder internacionais.   Não poucos daqueles que julgam à Presidenta são pesquisados por atos de corrupção.

O que aconteceu no Brasil é mais outra expressão da ofensiva do imperialismo e da oligarquia contra os governos revolucionários e progressistas de América Latina e as Caraíbas, que ameaça a paz e a estabilidade das nações, infringindo o espírito e a letra da Proclama de América Latina e as Caraíbas como Zona de Paz, a qual foi assinada pelos chefes de Estado e de Governo da regiãona II Cúpula da CELAC, em janeiro de 2014, em Havana.

Cuba ratifica a sua solidariedade para com a Presidenta Dilma e o camarada Lula, assim como com o Partido dos Trabalhadores, e manifesta a sua confiança em que o povo brasileiro defenderá as conquistas sociais atingidas, opor-se-á terminantemente às politicas neoliberais que tentem de se lhes impôr e ao desapossamento dos seus recursos naturais.

Havana, 31 de agosto de 2016.


segunda-feira, 15 de agosto de 2016

Homenagem aos 90 anos do Comandante em Chefe Fidel Castro – 13 de agosto


AO COMANDANTE DAS CONSCIÊNCIAS!
                                              

POR ADEMAR BOGO

Se a história pedir um testemunho
De um marco heróico e igualitário
Que tenha investido no contrário
Daquilo que pregavam as cartilhas;
Os olhos se voltam para a Ilha
E ao mais belo processo humanitário.
Ali não se detém a marcha libertária;
Persiste o triunfo em sua totalidade...
Nos gestos firmes de solidariedade
Verte o suor do ardor revolucionário.
No entanto, a história segue perguntando:
A quem pertence tamanha singeleza?
E tem a resposta da fineza
Cantada com bela melodia;
Os versos na boca da utopia
Escritos pelas mãos da gentileza:
Que não há triunfo sem grandeza
Nem encanto, se falta a ideologia.
Mas a história persiste na insistência:
Quer saber em que se ancora a coerência
De um povo que tem livre a sua memória?
Sabe ele que a mais simples das vitórias
Só se alcança com os passos da prudência;
Quando, o comando com paciência
Faz as ondas do Mar como trincheiras...
E perfila as montanhas guerrilheiras ...
Num andar que seduz as consequências.
Construída, a vitória vêm os frutos,
E dos frutos generosos, as sementes...
Sendo assim, a transição é permanente
No compasso do desejo mais profundo.
E o exemplo recuidado ganha o mundo
Não por ordem da riqueza material
Nem movido por amor ao capital
Mas por força da amável inteligência.
E se a história quiser mais evidências;
Uma prova cabal e contundente,
É só olhar que o responsável está na frente:
O eterno comandante das consciências.

Teixeira de Freitas, agosto de 2016


Querido Comandante  Fidel,

Por ocasião de seu nonagésimo aniversário, os membros da Rede de Intelectuais, Artistas e Movimentos Sociais em Defesa da Humanidade, queremos fazer chegar nossas mais sinceras felicitações e, sobretudo nosso mais profundo agradecimento por tudo que tem feito pelos povos de Nossa América e por todos do mundo.
Sua figura tem sido permanente fonte de inspiração não somente quando, impulsionados pela maré ascendente das lutas populares dávamos passos firmes em direção ao socialismo, mas também nos momentos recorrentes em que nossos avanços se detinham em consequencia da agressividade da reação do imperialismo e seus aliados.
Se nos períodos de ascenso seu exemplo nos obrigava a não nos dar jamais por satisfeitos nem satisfeitas e, como bons revolucionários e revolucionárias a prosseguir com renovados orgulhos nossa marcha; quando deveríamos enfrentar as adversidades ou a contra-ofensiva do inimigo, a lembrança de sua atitude após o Moncada ou o ataque do imperialismo em Praia Girón fortalecia nossos espíritos e nos convencia que a vontade inabalável de lutar por nossos ideais era o caminho seguro para a vitória. Você nos mostrou esse rumo em incontáveis ocasiões e podemos lhe assegurar que esse ensinamento que nos reiterou em sua reunião com os intelectuais em 10 de fevereiro de 2012, quando disse que “ainda que nos dissessem que restam poucas semanas de vida ao mundo, nosso dever seria lutar, continuar lutando até o fim” calou fundo e já é uma marca indelével em milhões de latino americanos e caribenhos que sabem, como muitos outros que lutam em outras partes do mundo, que esse será nosso destino: lutar até o fim, conscientes de que as classes dominantes e o imperialismo jamais se darão por vencidos. 
A convicção de que nossas ideias e nossos valores são infinitamente superiores aos dos nossos inimigos foi e é um alimento essencial de nossa militância revolucionária. De você aprendemos que sua defesa exige a mais absoluta intransigência. Como quando, com virtuosa obstinação, você se negou a arriar as bandeiras do socialismo no momento em que se desintegrava a União Soviética e desaparecia o campo socialista.
Graças à sua inabalável convicção, a Revolução Cubana pôde seguir sua marcha e, com seu heroico exemplo, abriu um caminho que poucos anos depois começariam a percorrer numerosos países de Nossa América após o triunfo de Hugo Chávez Frias nas eleições presidenciais da Venezuela em dezembro de 1998. Se você tivesse se deixado convencer pelos que o aconselhavam a abandonar para sempre o projeto socialista e Cuba se tivesse jogado nos braços do capitalismo, o luminoso período aberto desde final do século passado até nossos dias, com a derrota da ALCA, a criação da ALBA, da UNASUR, da CELAC, de Petrocaribe, do Banco do Sul, da Telesur, da própria Rede em Defesa da Humanidade, jamais teriam acontecido. A potente luz que irradiava o farol da Revolução Cubana foi decisiva para impulsionar nossos povos a deixar para trás a longa noite neoliberal dos anos noventa e retomar o caminho à nossa Segunda e Definitiva Independência.
Por isso nossa dívida, a dívida de nossos povos com você, Comandante, é incomensurável e daí nossa profunda gratidão por sua integridade revolucionária, por ter sido fiel àquela maravilhosa definição de “revolução” que expressou em seu discurso do 1º de Maio de 2000, em uma das passagens onde ressaltou que Revolução “é defender os valores nos que se crê ao preço de qualquer sacrifício; é modéstia, desinteresse, altruísmo, solidariedade e heroísmo; é lutar com audácia, inteligência e realismo”. Ao longo de sua fecunda vida você tem sido fiel a essas ideias que viverão eternamente na alma dos revolucionários e revolucionárias de todo o mundo, de todos aqueles que sabem que outro mundo é possível e necessário e que se se luta com a constância e coerência que você demonstrou durante tantos anos, a vitória será inevitável.

FELIZES NOVENTA ANOS, FIDEL ! OBRIGADO POR SEU EXEMPLO. PODE ESTAR CERTO QUE SEREMOS FIÉIS A SEUS ENSINAMENTOS ATÉ A VITÓRIA FINAL.

Seguem-se assinaturas de intelectuais, religiosos, movimentos e partidos




UN VIDEO DE MUSICA  argentina em homenagem a Fidel   3.40`,
                                                                                                

ESTUDOS E INFORMES SOBRE O PAPEL DE FIDEL NA HISTORIA DA AMERICA LATINA




Amplia ovación recibe Fidel en Teatro Karl Marx



El Comandante en Jefe Fidel Castro Ruz recibió este sábado cerrada ovación al llegar al Teatro Karl Marx de La Habana, donde la Compañía de Teatro Infantil La Colmenita estrenó el espectáculo “Fidel entre nosotros”, en saludo al cumpleaños 90 del líder de la Revolución.

Con la presencia del General de Ejército Raúl Castro Ruz, Presidente de los Consejos de Estado y de Ministros de Cuba, y de Nicolás Maduro Moros, Presidente de la República Bolivariana de Venezuela, inició esta gala cultural, máxima expresión de las celebraciones realizadas durante todo el año.



Tras la interpretación de Omara Portuondo del tema de Silvio Rodríguez, La Era, Eusebio Leal Spengler contó para los niños de La Colmenita anécdotas sobre el líder de la Revolución Cubana.

Un amigo, es también un maestro. Un amigo bueno y un maestro siempre. Cualquier cosa que le preguntemos va a respondernos, porque él siempre se prepara bien. Lee mucho. Conoce de literatura, de arte, de historia y es al mismo tiempo es muy humano. Y dice siempre la verdad, aborrece cuando alguien no dice la verdad; dijo.

Cuando él siente que alguien tiene necesidad, acude inmediatamente; por eso cuando la gente tenía alguna necesidad decían, “porque Fidel no lo sabe”, porque siempre acude inmediatamente, añadió a las historias sobre el Comandante en Jefe.

“Hay poemas hermosos escritos por los mejores poetas, pero las palabras de Salustiano Leyva sobre Martí son el poema que el Héroe Nacional le grabó en el alma”. Dicho esto se refirió a la noche en que Fidel acudió a Playita de Cajobabo a celebrar el centenario de la llegada de Martí a Cuba para la contienda de 1895, junto a Gómez. Entonces Fidel tomó la bandera cubana, entró al agua y la movió al norte, al sur, al este y el oeste y, como un misterio, salió la luna llena. Lo mismo que sucedió aquella noche del desembarco del Héroe Nacional, significó Eusebio Leal.

Al festejo asistieron además los miembros del Buró Político José Ramón Machado Ventura, Segundo Secretario del Partido Comunista de Cuba (PCC); Miguel Díaz-Canel Bermúdez, Primer Vicepresidente de los Consejos de Estados y Ministros, y Esteban Lazo, Presidente de la Asamblea Nacional del Poder Popular.

Presentes en la cita además, moncadistas y expedicionarios del Granma, Héroes de la República de Cuba, Héroes del Trabajo, dirigentes del Partido, el Estado, el Gobierno y las organizaciones políticas y de masas.
Feliz cumpleaños para un gigante y Cuba que linda es Cuba cerraron esta gala que fue tributo al hombre que no ha dejado de luchar nunca en favor de las causas justas y los desfavorecidos del mundo.


Fonte: http://www.radiorebelde.cu/noticia/amplia-ovacion-recibe-fidel-teatro-karl-marx-20160813/

segunda-feira, 1 de agosto de 2016

A rebeldia que irradia: Mostra "Fidel é Fidel" vai até dia 13 de agosto em Brasília

Na noite da última terça-feira, 26 de julho, dia em que se comemora a Rebeldia Nacional Cubana, deu-se por aberta a Mostra Fotográfica “Fidel es Fidel” [Fidel é Fidel], do cinegrafista cubano Roberto Chile, em comemoração ao 90º aniversário do Comandante em Chefe, Fidel Castro Ruz e o 63º aniversário do Dia da Rebeldia Nacional, no Teatro dos Bancário em Brasília. Na oportunidade se fizeram presente representantes do parlamento, dos movimentos populares, amigos e parceiros do comandante e de Cuba.





As obras expostas retratam a imagem em movimento do líder cubano, a vida, o legado, a memória registrada em papel, vídeo e na vida daqueles que o conheceram. Imortalizando o significado desses momentos decisivos da história, marcando no tempo o símbolo épico de um líder revolucionário. Descrito como guerrilheiro, soldado das ideias agudas, afiadas, provocantes, Fidel é Fidel, não há o que tirar ou ignorar. Desde os dias da Serra, o verde-oliva foi o sinal mais visível do guerreiro sem descanso. “Às vezes, por motivos de protocolo, tinha que vestir guayabera ou o clássico terno preto, mas logo voltava a usar as roupas da campanha, a mesma das dragonas com losango rubro negro entre laureis, Santo e sinal do líder revolucionário”, relata ele mesmo em uma das gravações exposta que leva o nome da mostra.




Além da abertura da mostra, o ato também celebrou o 90º aniversário de Fidel e 63º aniversário do Dia da Rebeldia Nacional. Onde a embaixadora de Cuba no Brasil, Marielena Ruiz Capote, destacou o legado de Fidel e a solidariedade internacionalista: “inspirador de muitos outros processos revolucionários”.

Entregando livros do Nescuba para envio ao comandante Fidel Castro como presente pelos seus 90 anos 

Fonte: http://convencao2009.blogspot.com.br/

quarta-feira, 13 de julho de 2016

Fidel Castro faz discurso em tom de despedida e fala sobre a própria morte

Depois de 9 meses sem aparecer publicamente e perto de completar 90 anos, Fidel Castro discursa a respeito do futuro do comunismo e fala sobre a sua própria morte



Com um discurso com um certo tom de despedida, Fidel Castro dirigiu-se, na terça-feira, à sessão de encerramento do VII Congresso do Partido Comunista de Cuba (PCC) para falar do futuro do comunismo e da sua própria morte.
Depois de há duas semanas ter feito a sua primeira saída pública em nove meses, o pai da revolução cubana apareceu no Palácio de Conferências em Havana, ao lado do irmão, o Presidente Raúl Castro. Foi recebido por mil delegados a gritar “Fidel, Fidel!”, segundo a agência oficial ACN.

“Em breve deverei completar os meus 90 anos [13 de Agosto]… Brevemente acabarei como todos os outros”, afirmou. “A todos chega a sua vez, mas os ideais comunistas cubanos continuarão como prova de que neste planeta, se trabalharmos com fervor e dignidade, podemos produzir os bens materiais e culturais de que os homens precisam e devemos lutar sem tréguas para os obter”, declarou o antigo Líder Máximo, que em 2006 passou o cargo ao irmão, por razões de saúde. “Aos nossos irmãos da América Latina e do mundo, devemos dizer que o povo cubano vencerá”.

Fidel Castro em sua mais recente aparição (Imagem: AP)

Segundo a agência espanhola EFE, Castro começou por explicar a origem da sua ideologia: “Porque me fiz socialista? Mais claramente, porque me tornei comunista? Esta palavra expressa o conceito mais distorcido e caluniado da história, por parte daqueles que tiveram o privilégio de explorar os pobres, despojados desde que foram privados de todos os bens materiais que provêem do trabalho, do talento e da energia humana”.
No dia 7 de Abril, Fidel Castro quebrou uma longa ausência (mas não silêncio, já que frequentemente escreve artigos e recebe personalidades e chefes de Estado em casa) e visitou uma escola da capital para falar da generosidade do sistema educativo cubano. “Consideramos um privilégio estar nesta escola hoje, porque este tipo de escola aproxima-se de um tipo de sonho”, afirmou.
No regime de partido único não se esperam mudanças. O PCC anunciou que Raúl Castro, com 84 anos, e José Ramón Machado Ventura, de 85, continuarão a liderar o partido durante pelo menos uma parte do novo mandato de cinco anos. O novo congresso só acontecerá em 2021.
Esta reeleição indica que apesar das alterações radicais nas relações entre Cuba e os Estados Unidos, e da tentativa de mudanças econômicas, os líderes da geração Castro não têm pressa em abrir caminho a sangue novo, escreve o New York Times. “Isto é um golpe para os cubanos mais novos que estão desejosos de ver um sistema mais pluralista, liderado por pessoas mais próximas das suas idades e sem as ortodoxias socialistas”. No seu discurso, Raúl Castro excluiu qualquer renovação e avisou que um sistema multipartidário “seria o princípio do fim”.
A íntegra do discurso:
“É um esforço sobre-humano dirigir qualquer povo em tempos de crise. Sem eles[os dirigentes], as mudanças seriam impossíveis. Em uma reunião como esta, aos mais de mil representantes escolhidos pelo próprio povo revolucionário, que a eles delegou sua autoridade, significa a maior honra que receberam na vida, e a isso se soma o privilégio de ser revolucionário que é o resultado de nossa própria consciência.
Por que eu me tornei um socialista, de forma mais clara, por que eu me tornei um comunista? Essa palavra que expressa o conceito mais distorcido e caluniado da história por aqueles que tiveram o privilégio de explorar os pobres, despossuídos uma vez que eles foram privados de todos os bens materiais que proporcionam o trabalho, talento e energia humana. Desde quando o homem vive neste dilema, ao longo do tempo, sem limite. Eu sei que vocês não precisam dessa explicação, mas talvez alguns dos ouvintes.
Falo simplesmente para que se compreenda melhor que não sou ignorante, extremista, ou cego, ou que não adquirida a minha ideologia por conta própria estudando economia.
Eu não tive preceptor, quando era um estudante de direito e ciência política, naquelas em que eles tem um grande peso. Desde que tinha ao redor de 20 anos, gostava de esportes e de escalar montanhas. Sem preceptor para me ajudar no estudo do marxismo-leninismo; não era mais do que um teórico e, é claro, tinha total confiança na União Soviética. A obra de Lenin seria ultrajada após 70 anos de revolução. Que aula de história! Podemos dizer que não devem transcorrer outros 70 anos para que ocorra outro evento como a Revolução Russa, para que a humanidade tenha outro exemplo de uma grande Revolução Social, [como a] que significou um grande passo na luta contra o colonialismo e seu ajudante, o imperialismo .
Talvez, no entanto, o maior perigo agora pairando sobre a terra deriva do poder destrutivo das armas modernas que poderia minar a paz no mundo e tornar impossível a vida humana na superfície terrestre.
As espécies desapareceriam como os dinossauros desapareceram, talvez não haveria tempo para novas formas de vida inteligente ou talvez o calor do sol cresça até fundir todos os planetas do sistema solar e seus satélites, como muitos cientistas reconhecem. Se certas, as teorias de vários deles, que não são leigos ignorantes, o homem prático deve aprender mais e se adaptar à realidade. Se a espécie sobrevive a um espaço de tempo muito maior, as gerações futuras saberão muito mais do que nós, mas primeiro terão que resolver um grande problema: Como alimentar os milhares de milhões de seres humanos cujas realidades inevitavelmente colidem com os limites para a água e os recursos naturais que necessitam?
Alguns ou talvez muitos de vocês se perguntem onde está a política neste discurso. Acreditem, eu tenho vergonha de dizer isso, mas a política está aqui nestas palavras moderadas. Esperemos que muitos humanos se preocupem com essas realidades e não continuem como nos dias de Adão e Eva a comer maçãs proibidas. Quem vai alimentar as pessoas famintas da África sem a tecnologia na ponta dos dedos, sem chuva, sem barragens, sem depósitos subterrâneos cobertos por areias? Veremos o que dizem que os governos que quase em sua totalidade subscreveram os compromissos climáticos.
Devemos martelar constantemente sobre estas questões e eu não quero me extender além do essencial.
Devo, em breve, cumprir 90 anos, eu nunca teria pensado em tal ideia e isso nunca foi o resultado de um esforço, foi capricho da sorte. Logo serei, já como todos os demais. A todos nós chegará nossa vez, mas ficaram as idéias dos comunistas cubanos como prova de que neste planeta, se você trabalha com fervor e dignidade, é possível produzir os bens materiais e culturais que os seres humanos necessitam, e nós devemos lutar incansavelmente para obtê-los. Para nossos irmãos da América Latina e do mundo, devemos transmitir que o povo cubano vencerá.
Talvez seja a última vez fale nesta sala. Eu votei em todos os candidatos apresentados para consulta pelo Congresso e agradeço ao convite e a honra de que me escutem. Felicito a todos, e, em primeiro lugar, ao companheiro Raul Castro por seu magnífico esforço.
Empreenderemos a marcha e aperfeiçoaremos o que devemos melhorar, com a máxima lealdade e força unida, como Martí, Maceo e Gómez em marcha imparável.
Fidel Castro Ruz”


Fonte: Pragmatismo Político

terça-feira, 5 de julho de 2016

Descobrem em Cuba molécula com efeito neuroprotetor


Havana, 4 jul (Prensa Latina) Uma equipe de cientistas cubanos descobriu a molécula denominada JM-20, que protege o sistema nervoso de processos degenerativos próprios de lesões cerebrais, segundo foi publicado hoje no diário Granma.
Em ensaios pré-clínicos, os pesquisadores encontraram na partícula as características neuroprotetoras, o que pode contribuir para o desenvolvimento de novos tratamentos para enfrentar a isquemia cerebral, indicou o diário.

De acordo com a publicação, esses resultados possibilitaram o acompanhamento da pesquisa para a fase de ensaios clínicos em humanos.

Posteriormente, caso se comprove com êxito o benefício da JM-20, o mercado poderá dispor, pela primeira vez, de um produto com ação terapêutica efetiva contra essa doença e suas sequelas, revelaram os especialistas.

Afirmaram também que a molécula e seus derivados estão protegidos por uma patente cubana.

Na pesquisa intervêm especialistas da Universidade de Havana, assim como dos centros de Pesquisa e Desenvolvimento de Medicamentos, e de Estudos para as Investigações e Avaliações Biológicas.

Colaboram também cientistas do Instituto de Ciências Básicas da Saúde, e da Universidade Federal de Rio Grande do Sul.

Além disso, foi divulgado que o estudo recebeu em 2015 um dos prêmios da Academia de Ciências, entre outras premiações, por sua relevância científica.

Fonte: Agência Prensa Latina


quinta-feira, 23 de junho de 2016

Se recuerdan 88 años del nacimiento de Ernesto ‘Che’ Guevara


14 de junio de 1928, hace 88 años, nace en Rosario, Argentina, Ernesto Guevara, conocido como el ‘Che’ Guevara fue reconocido por su trayectoria política, por ser escritor, periodista, médico y uno de los ideólogos de izquierda más reconocidos de la Revolución cubana impulsada por el Comandante Fidel Castro Ruz.Desde 1953 viajó por Perú, Ecuador, Venezuela y Guatemala, descubriendo la miseria dominante entre las masas de Iberoamérica y la omnipresencia del imperialismo norteamericano en la región.


En 1955 conoció en México a Fidel y Raúl Castro, uniéndose a la lucha emancipadora que culminó con el triunfo de la Revolución Cubana en 1959.
Estuvo presente en el Congo, convencido de que sólo la acción insurreccional armada era eficaz contra el imperialismo, y al año siguiente volvió a Iberoamérica para promover una revolución de ámbito continental, eligiendo a Bolivia para instalar una guerrilla que pudiera irradiar su influencia hacia Argentina, Chile, Perú, Brasil y Paraguay.
En Bolivia intentó poner en práctica su teoría revolucionaria, según la cual la acción armada crearía las condiciones para una insurrección popular a través de la guerra de guerrillas.
Sin embargo, su acción no fue comprendida por las masas bolivianas y, aislado en una región selvática en donde padeció la agudización del asma que siempre sufrió, fue delatado por campesinos locales, cayendo en una emboscada del ejército boliviano en la región de Valle Grande, donde fue herido, apresado y, finalmente, asesinado.
Dado que el Che se había convertido en un símbolo para los jóvenes de todo el mundo, los militares bolivianos, aconsejados por la CIA, quisieron destruir el mito revolucionario, exponiendo su cadáver, fotografiándose con él y enterrándolo en secreto.
En 1997 los restos del Che Guevara fueron localizados, exhumados y trasladados a Cuba, donde fueron enterrados con todos los honores por el Presidente Fidel Castro.
La figura del Che Guevara tiene las extraordinarias dimensiones de un visionario que luchó por superar la injusticia del capitalismo. Su ejemplo implica un compromiso real a favor de los oprimidos y el desarrollo de una conciencia orientada a la liberación ideológica, con base en el trabajo creador y humanizante.


Fonte: http://noticiaaldia.com/2016/06/hoy-se-recuerdan-88-anos-del-nacimiento-de-ernesto-che-guevara/

segunda-feira, 25 de abril de 2016

Concluído o VII Congresso do Partido Comunista Cubano

Terminou no último dia 19, o VII Congresso do Partido Comunista Cubano (PCC), que contou com a presença do líder histórico revolucionário Fidel Castro. O Congresso tem como objetivo a eleição do Primeiro Secretário, do Comitê Central, do Burô Político e do Secretariado da organização comunista. O presidente cubano Raúl Castro foi reeleito pelo congresso, bem como o seu Segundo Secretário, José Ramóm Machado Ventura.
O encontro partidário teve resultado favorável aos projetos de atualização do modelo econômico, dando início a uma ampla e democrática discussão com as militâncias do Partido, a União de Jovens Comunistas e outras diversas organizações de diferentes setores da sociedade cubana.

No Congresso, Raúl ressaltou a importância de preservar os princípios da Revolução, declarando que o processo de atualização do modelo econômico do país não será rápido, porém, declarou "O rumo já está traçado: prosseguiremos a passo firme, sem pressa, mas sem pausas".


Referência da imagem: Raúl Castro durante el discurso de clausura del Congresso. Foto: Ismael Francisco/ Cubadebate

terça-feira, 5 de abril de 2016

Comemoração dos 30 anos de reatamento das relações diplomáticas entre Brasil e Cuba


No dia 5 de abril comemoramos os 30 anos de reatamento das relações diplomáticas entre Brasil e Cuba, interrompidas de 1964 até junho de 1986.

Esta comemoração se insere no programa do curso de módulo livre “Processo sócio-histórico cubano e contexto atual”, oferecido pelo NESCUBA/CEAM da Universidade de Brasília.

A atividade foi dividida em dois momentos:

  • No primeiro foi feito breve introdução sobre uma pesquisa coordenada pelo Nescuba, que trata da Memória histórica do movimento brasileiro de solidariedade a Cuba, seguida da apresentação de um vídeo síntese da referida pesquisa;

  • No segundo, como parte da III Jornada universitária de apoio à reforma agrária (programação geral em anexo), foi apresentado e discutido o tema A reforma agrária em Cuba: a inserção da juventude.